A mulher e o mergulho

O ser humano, pensante e sociável por natureza, sempre busca alguém como referência, um modelo a ser seguido por afinidade e/ou, claramente, por admiração. 

No blog post de hoje vamos enaltecer quem admiramos por sua garra, força, fé, perseverança, determinação, entusiasmo e otimismo: A MULHER.

Seja ela irmã, mãe, tia, filha, sobrinha, amiga, companheira, neta, etc: mulher transmite segurança e positivismo

Cada uma com sua crença, estrutura familiar, estilo e cultura, porém todas têm algo inegavelmente em comum: são guerreiras, não falta fôlego, não, senhor.

E por falar em fôlego, abordaremos a presença das nossas musas inspiradoras no mergulho e suas aventuras no reino subaquático.

E aí, diver, pronto(a) para mergulhar fundo? 😉

A prática do mergulho é uma atividade, muitas vezes, pensada ser estritamente masculina por ser “arriscada” (oi?) – NÃO, DIVER, NÃO É PERIGOSA DE FORMA ALGUMA!

Além disso, o trabalho com mergulho é muitas vezes ligado a força e resistência.

Ué, mas será que a mulher só tem força e resistência para dar à luz… é isso mesmo? Rs! Pois é… só que não, diver. 

Certos preceitos e conceitos precisam de uma atualização mais urgente. 

Sexo frágil? Nunca. 

Após a Segunda Guerra Mundial, o mundo ocidental vivia um período de recuperação, mas também de avanços tecnológicos e comportamentais. 

Nesta época houve o surgimento do equipamento SCUBA, mas com pouquíssimo ou quase nenhuma participação feminina.

Isso, diver. Você não leu errado. A prática do mergulho recreativo era proibida para as mulheres. 

Mulheres trabalhando com mergulho? Ixi, aí é que não rolava mesmo. 

Pensemos juntos: há 40 anos, mulheres ainda eram proibidas de jogar futebol! Chocante, né? 

Aproveitando o ensejo, foi neste meio de tempo (entre 1840 e 1920) em que as mulheres começaram a criar, na vera, clubes de mergulho – não somente – para mulheres, afim de incentivar outros a se juntarem ao esporte, formando amizades e comunidades ao longo do caminho, que hoje seguimos com mais facilidade.

Olha aí as mulheres arrasando como sempre!

Se hoje em dia essa atividade é igualitária em termos de gênero, muito se deve a essas rainhas extraordinárias do mundo subaquático!

Atualmente na PADI, maior certificadora de mergulho do mundo, as mulheres já representam 45% das certificação.

A medida em que o tempo passa, o mergulho ganha cada vez mais popularidade como atividade recreativa, profissional e ferramenta de pesquisa.

Um dia após o outro, as mulheres estão de aprofundando na exploração da imensidão azul.

Muitas delas se destacaram e hoje são ícones históricos do mergulho!

Vamos conhecer o legado de algumas delas, diver? Confira com a gente! 

#01- Sylvia Earle

Uma lista da história do mergulho estaria totalmente incompleta sem a presença de Sylvia Earle. “Her deepness” ou “Vossa Profundeza”, como é conhecida, é uma pesquisadora ficóloga (a ficologia é o estudo das algas, diver). 

Seu legado, entretanto, vai muito além de sua área de pesquisa.

Como mergulhadora, Sylvia liderou a primeira expedição a um laboratório subaquático composta só por mulheres: o Tektite II. Além disso, bateu o recorde de profundidade de mergulho em 1979, atingindo 381 metros.

Sete anos mais tarde, a bendita bateu a maior profundidade em uma expedição solo de submarino: mil metros. Isso, diver, M-I-L METROS. Deu pra entender porque ela é conhecida como “Vossa Profundeza”? Deu, né? 

Além dos recordes, Sylvia tem 25 doutorados e é amplamente reconhecida por seus esforços conservacionistas. 

Aos 84 anos, essa icônica do mergulho segue bastante ativa e lidera o projeto Mission Blue, que pode ser acompanhado pelo Instagram

Você também pode conhecer mais sobre o projeto e a Sylvia Earle assistindo o documentário “Mission Blue” na Netflix, viu, diver? Recomendamos! 

#02 – Eugenie Clark

Eugenie Clark foi uma bióloga marinha especializada no estudo do comportamento dos tubarões, motivo pelo qual ficou conhecida como “Shark Lady”, a “Dama dos Tubarões”.

Em 1958, organizou um experimento com tubarões em que conseguiu treiná-los para que executassem tarefas simples, como apertar um botão em troca de recompensas.

Seu experimento surpreendeu a comunidade científica da época, pois havia uma crença generalizada de que os tubarões eram animais pouco inteligentes. 

Clark dedicou sua vida à preservação e ao estudo destes seres, combatendo os efeitos nocivos que a ignorância tinha sobre a vida marinha.

Como mergulhadora, ela era conhecida e admirada por sua agilidade entre os colegas de mergulho. Muitos diziam que na água, Clark se movimentava como um peixe!

#03 – Haenyo e Ama 

Desta vez não estamos falando de uma mergulhadora, mas de povos marcados por mulheres mergulhadoras. “Haenyou” e “Ama” significam “mulheres do mar” e “povo do mar” em coreano e japonês, respectivamente.

Nestes povos, onde a economia dependia tradicionalmente da pesca, essas mulheres representavam a força econômica de suas comunidades, mostrando-se historicamente mais eficientes que os homens no mergulho livre, ou seja, sem equipamentos e na pesca de mariscos, lagostas e camarões.

Apesar de a predominância feminina ter aumentado principalmente no século XVIII, acredita-se que essa prática tenha origem milenar! NOSSA! 

#04 – Fernanda Paiva 

Fernanda Paiva, PADI Course Director – amada e seguida por milhares de mulheres amantes do mergulho Brasil adentro, mundo afora – é natural de Resende, Estado do Rio de Janeiro, aos 18 entrou para a faculdade de Administração de Empresa na Universidade Federal de Juiz de Fora. 

Em 2004 começou a trabalhar na Votorantim Celulose e Papel, onde fez carreira na área de logística. Foi coordenadora de logística por 3 anos da fábrica de Jacareí, sendo responsável pela gestão do estoque e pela programação da produção e da expedição. 

A moça é a determinação e inteligência em pessoa, diver. E NÃO É RASGAÇÃO DE SEDA, TEMOS PROVAS: 

Fernanda é Green Belt, tem formação em auditor interno ISO 9.000 e 14.000, em Gestão de Projetos, em Balanced Scorecard e MBA em Negócios Internacionais pela FAAP.

Em 2011 fez seu primeiro curso de mergulho e se apaixonou pela atividade, foi quando resolveu mudar de vida. Buscando a real satisfação pessoal e profissional, Tornou-se instrutora de mergulho em 2012 e se juntou ao Luis Miguel Filipe para fundar a queridinha de Alagoas e uma das maiores escolas de mergulho do Brasil… palpite? A Let’s Dive, diver! 

Atualmente é CEO e Diretora de Marketing da Let’s Dive.

Ela tem mais de 400 alunos formados, vários deles nos níveis profissionais, e mais de 3.500 mergulhos realizados

Atualmente é responsável pela formação de novos profissionais de mergulho na Let’s Dive.

Pera! Achou que é “só isso” sobre a Fernanda? Dá uma olhadinha nas habilidades e aptidões da “garota referência”, diver. 

Atualmente ela é a única mulher Course Director, último nível de instrutor de mergulho na PADI, na América do Sul.

É de tirar o fôlego, não é? Somos fã #1 e não negamos! <3 

#05 – Erika Nezu 

Imagem do artigo Beginners Guide to Buying a Mask do blog da PADI

Em meados de 2016, Erika Nezu – influenciada pelo encantador estilo de vida de um primo mergulhador – deu os primeiros passos… Opa, mergulhos da sua existência. 

Para isso, decidiu fazer o curso Open Water Diver em São Paulo, afim de curtir a experiência molhada e submersa em Fernando de Noronha.  

A intenção era fazer o curso para estar apta a mergulhar no pedacinho de paraíso que é Noronha, e que tanto amamos. Apenas isso, apenas lá, just for fun real/oficial.

Erika achou que a experiência em Fernando de Noronha seria o suficiente. Mas, como o destino é danado feito ninguém mais, foi amor à primeira mergulhada: trocou a área comercial da gastronomia pela carreira no mergulho. 

Logo em seguida, determinadíssima, veio até Maceió e apostou no Programa GoPro aqui na Let’s Dive

Entre estudos e saídas de mergulho se formou como Instrutora de Mergulho em 2018. 

“Hoje, eu amo a minha qualidade de vida. A rotina é divertida, mergulhei por um ano e meio de forma recreativa. Agora, rodo o mundo trabalhando com o que amo. Sempre tive intimidade com a água, foi mais fácil para mim. Não vejo dificuldades na área, não são muitas mulheres… ainda, daí temos mais oportunidades. Temos alguns diferenciais se comparadas aos homens, eles são naturalmente mais fortes, mas não é nada impossível, de verdade, meninas. Uma mulher sempre agrega numa operação, fazendo diferença total no mergulho. afirma Erika, a paulistana apaixonada por viagens, natureza, mar e amigos

Entre os seus inúmeros mergulhos registrados, um dos pontos mais altos da carreira de Erika é a República Dominicana, onde trabalhou por tempos como Instrutora de Mergulho Recreativo. 

Atualmente a Erika está trabalhando como instrutora na Tailândia e realizando seu sonho de viajar pelo mundo!

“Se eu vejo uma criança caindo do décimo andar, eu não paro para fazer outra coisa e ‘ah, tudo bem, vai demorar ainda’. Não! Eu estendo os meus braços e faço de tudo para estar lá embaixo e segurá-la, eu vou dedicar todos os meus esforços para não deixar ela se machucar”. Sylvia Earle.

O blog post e a história dessas mulheres não são brilhantes apenas pela carreira de cada uma; mas por chamar a atenção para o fato: é importante acreditar e seguir seus sonhos e capacidades

Quem vos escreve é um jovem adulto, feministo e esperançoso na possibilidade – prefiro ditar CERTEZA – de que ELAS irão inspirar uma nova geração de heroínas do mergulho e continuarão a inspirar pessoas como eu e todxs que fazem parte da nossa redação. 

A ideia era trazer histórias de superação e inspiração

Mas com certeza faltam muitos nomes nessa lista de mergulhadoras. 

Você sentiu a ausência de alguém? Que tal deixar sugestões ou dúvidas na caixa de comentários? Aguardamos sua resposta, diver! 

Não esqueça de compartilhar o blog post em suas redes sociais, marcar os amigos e assinar a nossa newsletter para não perder uma atualização sequer. Até a próxima! 😀

AINDA NÃO TEM CURSO DE MERGULHO?

Comece a mergulhar hoje! Seja através de uma experiência ou de um curso.

1
Deixe seu comentário

avatar
1 Comentar tópicos
0 Respostas do Tópico
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Tópico de comentário mais quente
1 Autores de comentários
Louise Sant'annaAutores recentes de comentários
  Inscreva-se  
o mais novo o mais antigo mais votado
Notificação de
Louise Sant'anna
Visitante
Louise Sant'anna

Ameeeei esse post!!! Nós mulheres arrasamos mesmo rsrsrsrsrss vcs sao show de bola eim!! Parabens ao rapaz que escreveu mto sensivel e deu mta vontadi de mergulhar com vcs!!!! show de bola!!!!! bjsss