Blog

SUBIDA DE EMERGÊNCIA – ENTENDA MELHOR

Subida de emergência

Olá diver, você já deve ter ouvido falar sobre a Subida Livre de Emergência Controlada, o famoso SLEC.

Essa é uma habilidade que aprendemos no Curso Básico de Mergulho, onde você deve ter treinado na sua aula de piscina e até no mar.

Entretanto nunca teve que utilizar e também não viu alguém precisando fazer, o que é muito bom!

Essa é uma habilidade que aprendemos para usar em caso de emergência, mas o que devemos fazer é planejar nosso mergulho para nunca precisarmos utilizá-la.

Hoje vamos explorar alguns fatores que levam um mergulhador a fazer uma subida de emergência.

Englobando a subida de emergência controlada, quanto outros tipos de subidas como a boiada e até mesmo a normal que fazemos em todos os mergulhos.

PERIGOS DE UMA SUBIDA RÁPIDA 

subida rápida

Primordialmente você como mergulhador deve saber os perigos de uma subida rápida.

No seu curso básico de mergulho, você aprendeu que a velocidade máxima permitida é 18 metros por minuto, entretanto a maioria dos computadores está configurada para 10 metros por minutos para ser mais conservador.

Após seu mergulho, seu nível de nitrogênio está alto e se você não respeitar a velocidade de subida uma bolha de nitrogênio pode expandir e ficar parada em algum lugar do seu corpo, causando a Doença Descompressiva.

Outro risco de uma subida rápida é a hiperexpansão pulmonar, que pode ocorrer quando um mergulhador sobe rápido e prende a respiração. 

Mas lembre-se, o mergulho é uma atividade muito segura! Basta você seguir as regras que aprendeu em seu curso de mergulho.

Primeiro suba lentamente. Este é um mantra no mergulho, importante em qualquer situação, e ajuda a evitar diversos fatores de perigo. 

Suba devagar, controlando sua flutuabilidade. 

Para isso você deve desinflar o seu colete aos poucos, já que na subida o ar dentro do seu CE expande e para evitar uma subida rápida você deve remover o ar aos poucos durante toda a sua subida..

Mas lembre de não ficar gastando muita energia para se manter em uma profundidade. Se estiver precisando bater muita perna pra não descer, infle um pouco o colete para estar sempre NEUTRO. 

Somente na superfície então, infle seu colete até ficar totalmente positiva e boiar te trazendo conforto.

PONTO IMPORTANTE DIVER!

Jamais tire o regulador da boca antes de inflar seu colete e se o mar estiver agitado mantenha-o na boca até subir no barco.

Outra dica importante é não tirar a máscara do rosto. Ela te ajuda a manter a água salgada longe dos seus olhos e assim será mais fácil enxergar.

Mas se realmente precisar tirar a máscara, coloque-a no pescoço e não na testa.

Você sabe porquê não deve colocar a máscara na testa? 

Porque isso é um sinal de pânico. Normalmente mergulhadores em pânico rejeitam seus equipamentos e a primeira coisa que fazem é tirar o regulador e a máscara. 

Então não confunda as pessoas que estão na operação esperança no barco. 

Chegando a superfície infle o colete, mantenha sua máscara no rosto e sinalize OK para a embarcação. 

subida de emergencia

VÁRIOS ERROS LEVAM A UMA EMERGÊNCIA 

Agora vamos explorar as subidas de emergências treinadas e explicadas no curso básico.

Vamos rever quando e como fazer uma subida livre de emergência controlada.

Uma subida de emergência só ocorre quando você errou diversas vezes.

Para mergulharmos precisamos fazer um double check, ou seja, você checa seu equipamento seguindo o CCPAA e depois sua dupla checa seu equipamento pela segunda vez.

Mas agora me diga: você se lembra o que é CCPAA e faz em seus mergulhos?

C – colete

C – cinto de lastro

P – presilhas

A – ar

A amizade

O acrônimo CCPAA foi criado para ajudar o mergulhador a lembrar tudo o que ele precisa verificar para iniciar seu mergulho em segurança.

Mas infelizmente essa não é uma prática tão recorrente, mas muito importante, pois pode evitar muitos problemas. 

Já na água, diversas distrações podem levar a não perceber seu consumo de ar e também não perceber que sua dupla não está próximo de você. 

Outros dois erros primordiais, ou seja, já temos alguns erros. 

Veja bem, quem está mais perto de ti em um mergulho, a superfície ou seu dupla? Se seguir as recomendações certamente será sua dupla. 

Então vamos por partes, você não checou seu equipamento corretamente, não gerenciou seu ar de forma recorrente e ainda ficou longe do seu dupla. 

Obviamente outros fatores, como falha do equipamento, também podem levar a uma situação de emergência, mas se estiver perto da sua dupla sempre será mais fácil resolver. 

Mas se você não gerenciar seu ar e ficar longe do seu dupla você estará numa situação complicada que pode te levar a uma subida de emergência, então é preciso saber como agir.

COMO FAZER E QUANDO O SLEC

subida de emergência

Manter a calma será o principal, por isso saber exatamente como agir é importante.

Treinar em outros momentos fora do curso básico pode ser importante, mas sempre faça junto a um profissional e é aí que entra o Programa ReActivate da PADI, ideal para pessoas que estão muito tempo sem mergulhar e desejar revisar suas habilidades.

Entenda alguns pontos importantes, fazer uma subida de emergência é uma situação extrema e você nunca deve planejar fazer. 

Mas se ficar sem ar, longe do seu dupla e estiver no máximo a 9 metros de profundidade, o SLEC será a melhor opção.

Então, se você ficar sem ar, a primeira coisa que deve fazer é verificar onde seu dupla está e qual é a sua profundidade.

Se seu dupla estiver perto, então a melhor opção é sinalizar que está sem ar para seu dupla e subir com a fonte alternativa.

Mas é uma decisão que você deve tomar e rápido, lembre que estar sem ar significa realmente não conseguir respirar pelo seu regulador. 

Parece óbvio sem dúvidas, mas muitos mergulhadores se desesperam ao chegar a 50 bar e querem subir de imediato, 

Essa reserva de emergência que guardamos é justamente para situações assim serem controladas.

Mas se também não estiver perto do dupla então suba controlando a sua velocidade e fazendo o som de “HAAAAH”.

Existem alguns pontos importantes que você deve lembrar: olhe para cima para manter suas vias aéreas abertas, segure a traqueia do colete e retire ar se necessário para controlar a sua velocidade.

Na subida livre de emergência controlada você deve ir no máximo a 18 metros por minutos. Uma maneira de controlar isso é olhar as bolhas da sua respiração e se manter abaixo das menores bolhas.

Lembre-se também manter a sua mão direita para cima para proteger sua cabeça.

Chegando na superfície lembre que você precisa encher o colete com a boca para ficar positivo e boiar. 

Muitos acidentes acontecem na superfície justamente por não conseguir flutuar. Nesse caso, solte o lastro e mantenha a calma.

SUBIDA BOIADA DE EMERGÊNCIA

Como dito na subida livre de emergência controlada, você deve estar no máximo a 9 metros de profundidade. 

Quando se está em profundidades maiores, você precisará seguir outros procedimentos.

Neste caso você terá que fazer uma subida boiada de emergência, pois não terá ar para subir controlando a sua velocidade.

Imagine se estiver aos 18 metros de profundidade. Para subir respeitando a velocidade máxima de 18 metros por minutos, você precisaria de 1 minuto para a subida.

Veja alguns pontos importantes:

Primeiro considere essa situação bem séria e arriscada. 

Assim, monitore frequentemente seu ar, principalmente em mergulhos profundos, para evitar ficar sem ar. 

Mas se tiver que realizar uma subida boiada de emergência, solte seu lastro e comece a nadar rápido para a superfície. 

Mantenha seus braços para cima, segure a traqueia do seu colete e não solte o ar de seu CE, pois ele irá lhe ajudar a subir rápido.

Na superfície sinalize a embarcação se estiver próxima, e utilize Oxigênio puro para evitar sinais de DD. 

A subida boiada de emergência envolve muitos riscos, como a doença descompressiva e a hiperexpansão pulmonar, e por isso deve ser evitada.

Essa deve ser a sua última opção.

Opte por uma subida normal, caso ainda tenha 50 bar no seu cilindro, ou se mantenha perto do seu dupla para fazer uma subida com a fonte alternativa. 

EVITE TODAS EMERGÊNCIAS E SAIBA COMO AGIR 

Infelizmente a maioria dos acidentes de mergulho são causadas pelo mal julgamento do mergulhador, ou seja, por não seguir as normas e padrões de segurança.

Ser chato e seguir cada detalhe tornará seu mergulho mais seguro.

Então mantenha seus equipamentos revisados, monitore seu ar e siga todas as regras do mergulho. 

Aprofunde seu conhecimento no curso de primeiros socorros e rescue diver. Temos um artigo muito bom falando sobre ele. 

O curso de resgate muda sua forma de agir no mergulho e como ver cada atitude que possa levar a uma situação de emergência. 

Estamos te esperando na Let ‘s Dive para lhe ajudar a ser um mergulhador cada vez melhor . 

CURSO RESCUE DIVER

Faça seu curso Rescue diver em 2 dias aqui na Let’s Dive

E evolua como mergulhador 

Olá, sou o Saulo Instrutor de mergulho com formação em Marketing digital, larguei tudo para realizar o sonho de encontrar os grandes animais aquáticos do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.